Follow by Email

0
“E uma mulher, que tinha um fluxo de sangue, havia doze anos, e gastara com os médicos todos os seus haveres, e por nenhum pudera ser curada. Chegando por detrás dele, tocou na orla de seus vestidos, e logo estancou o fluxo do seu sangue.” (Lc. 8.43-44.)

Pela Lei Mosaica, a mulher nos dias de fluxo era excluída da sociedade, pois era considerada imunda nesse período. Em Levítico 15.25, diz: “Se uma mulher tiver um fluxo de sangue por muitos dias fora do tempo da sua impureza, ou quando tiver fluxo de sangue por mais tempo do que a sua impureza, por todos os dias do fluxo da sua imundícia será como nos dias da sua impureza: imunda será.”

Tentemos imaginar o que ela sentiu ao longo desses 12 anos de sofrimento físico, emocional e financeiro. Os recursos da medicina ela já havia experimentado, tanto que já gastara todo o seu dinheiro, mas a cura não aconteceria por meio de recursos humanos e sim por intermédio de Jesus Cristo.

Que exemplo maravilhoso de fé, ousadia e perseverança pode-se observar por meio da vida desta mulher. Não houve obstáculos que a impedisse de chegar à cura, nem mesmo a própria humilhação perante toda àquela multidão que corria para onde Jesus estava, a fim de serem também curados de suas enfermidades.

Este texto bíblico me faz retornar à minha infância. Quando tinha oito anos de idade, fui acometida de uma gripe muito forte, fiquei internada, porém houve seqüelas: minha voz havia sido afetada, eu não conseguia falar direito. Lembro-me que na escola, quando era minha vez de ler na sala de aula, as professoras, já sabendo do meu problema, passavam para outro aluno. Bem, nessa época eu não conhecia Jesus. Foi então que minha mãe resolveu levar-me aos médicos para que algum diagnóstico fosse detectado, mas nada achavam... Diziam que poderia ser psicológico. Fui crescendo, frustrada, tímida, com vergonha de falar com as pessoas. Mas aos 15 anos eu conheci Jesus e tive minha experiência com ele, experiência tal que me levou a cura. O Médico dos médicos me curara.

Hoje, louvo ao Senhor com minha voz. Percebi que por meio daquela enfermidade, Deus tinha um propósito. Freqüentemente, compartilho esse testemunho com outras vidas e Deus as têm curado.

Talvez o seu problema não seja o mesmo daquela mulher, e nem tampouco o que descrevi. Talvez o seu problema seja o seu interior ferido, humilhado, magoado e sem esperanças. Isto o tem levado a desertos infindáveis, que fazem você esquecer das promessas de Deus para sua vida. A solução para os seus problemas está em Deus, devemos tirar nossos olhos das coisas e das pessoas e correr para os braços do Pai.

No Evangelho Lucas 8.45-48, está escrito: “E disse Jesus: Quem é que me tocou? E, negando todos, disse Pedro e os que estavam com ele: Mestre, a multidão te aperta e te oprime, e dizes: Quem é que me tocou? E disse Jesus: Alguém me tocou, porque bem conheci que de mim saiu virtude. Então, vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se tremendo, e, prostando-se ante ele, declarou-lhe diante de todo o povo a causa por que lhe havia tocado, e como logo sarara. E ele lhe disse: Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou; vai em paz.” Esta mulher não hesitou, mas correu para os braços de Jesus. O que a salvou foi a sua fé no Senhor, foi a sua decisão de conseguir a sua cura a ‘qualquer preço’. No livro de Marcos 9.23, diz que “tudo é possível ao que crê”. Por isso, tome atitudes em direção à cura, em direção ao milagre para sua vida.

O Senhor lhe abençoe!

Suely Marques de Rezende
Líder de Louvor – Igreja Missionária Vila Morangueira – Maringá/Pr
sumrezende@terra.com.br

Postar um comentário

 
Top