Follow by Email

0


Estudo de Célula para Crianças n° 005

Textos-base: Gn 21; 25:20-34; 27

Você lembra que Deus havia dado uma promessa a Abraão, que este teria uma descendência tão numerosa quanto as estrelas do céu e a areia do mar, e que seria pai de numerosas nações (Gn 15:17)?
Sara, esposa de Abraão, era estéril. Você sabe o que é estéril? É alguém que não pode ter filhos. Além do mais, eles já eram muito idosos. Isso fez com que Sara duvidasse da promessa do Senhor.
Visitou o Senhor a Sara, cumprindo a Sua promessa (Gn 21:12) e ela deu à luz um filho, que recebeu o nome de Isaque, pois veio trazer riso aos seus pais. Tinha Abraão a idade de 100 anos.
Isaque cresceu e casou-se com Rebeca, que era estéril como Sara. Isaque orou ao Senhor e Rebeca ficou grávida de gêmeos, dando à luz dois meninos: o primeiro era cabeludo e ruivo e recebeu o nome de Esaú; o segundo chamou-se Jacó e nasceu segurando o calcanhar de seu irmão.
Esaú e Jacó eram muito diferentes um do outro. Esaú era caçador e gostava de estar no campo, enquanto Jacó era tranqüilo e gostava mais de estar em casa. Isaque amava mais a Esaú, enquanto Rebeca amava mais a Jacó.
Segundo a cultura hebraica, o filho mais velho tem o direito da primogenitura, de receber bênção maior que o irmão mais novo. Jacó, apesar de ser o mais novo, queria esse direito. Um dia, Jacó fez um guisado muito apetitoso e quando Esaú chegou do campo, cansado e faminto, pediu-lhe um pouco daquela comida. Jacó aproveitou a oportunidade e disse-lhe que daria a comida se ele vendesse o direito da sua primogenitura. A fome falou mais alto e Esaú aceitou o negócio. Assim, Esaú desprezou o seu direito de primogenitura, perdendo a bênção.
Quando Isaque estava bastante velho, já não enxergava mais, chamou Esaú, seu filho mais velho e pediu-lhe que apanhasse uma caça e lhe fizesse uma comida bem saborosa, pois queria abençoá-lo antes de morrer. Rebeca ouviu a conversa, chamou Jacó, mandou que ele pegasse dois cabritos e fez uma comida muito gostosa. Depois vestiu o filho com a melhor roupa de Esaú, colocou sobre suas mãos e pescoço a pele do cabrito, para que ficasse com cheiro de caça e lhe disse para levar a comida e o pão a Isaque, fingindo ser seu irmão, a fim de receber a bênção. Jacó foi, e como seu pai já estava muito debilitado e cego, não percebeu o engano e abençoou José com a bênção de Esaú. Quando Esaú chegou e descobriu o engano do irmão, odiou a Jacó e prometeu matá-lo (Gn 27). Por causa disso, Jacó teve que ir embora de sua casa.

Vamos pensar um pouco sobre essa história:
O plano de Deus para nós é que todos sejamos abençoados, tenhamos uma vida santa, em intimidade com Ele, que sejamos prósperos e cheios da Sua vida. Para isso, desde que o homem pecou no Jardim do Éden, Deus vem levantando na terra homens obedientes a Ele, que O temem e O amam, para formar um povo santo, destemido e temente a Ele. Levantou a Noé, depois a Abraão e continuou o Seu projeto com Isaque, que gerou Esaú e Jacó. Esaú perdeu a bênção por ter dado mais valor a um prato de comida do que ao que Deus lhe tinha dado por ser o primogênito (filho mais velho).
Muitas vezes agimos como Esaú. Damos mais valor às coisas do mundo do que às bênçãos que Deus preparou para nós. Gostamos mais de ir ao Shopping, ao cinema, brincar com os amigos, do que estar com o Senhor, ir ao culto, ler a Bíblia, orar. Se quisermos ser bem sucedidos em tudo o que fizermos, se quisermos ser homens e mulheres de êxito, abençoados, não podemos ser como Esaú, que preferiu a comida à bênção, e nem como Jacó, que enganou a seu pai e a seu irmão para receber a bênção, tendo que fugir e passar muitas situações difíceis.



Palavra: Pastores Luiz e Regina Vasconcelos - MIR

Fonte: Montesião

http://i148.photobucket.com/albums/s18/auricola/015.gif

Postar um comentário

 
Top